UNIMA Portugal

União da Marioneta Portuguesa / Centro Português da UNIMA
União Internacional da Marioneta / Union International de la Marionnette

actualização de contactos dos associados

por Unima Em 6 de Novembro de 2015 0 Comentários

LOGO UNIMA PORTUGAL associado 2012Estamos a actualizar a nossa base de dados dos associados. Agradecíamos que nos enviassem os vossos dados de contacto actualizados para que possam receber toda a informação.

Se não recebe à já algum tempo informações da UNIMA Portugal por favor contacte-nos pelo email socios@unimaportugal.com

novo fôlego!

por Unima Em 27 de Outubro de 2015 0 Comentários

inauguracao unima portugal 2 é verdade! caros associados de volta ao trabalho estamos a recolher conteúdos para a UNIMA Portugal MAGAZINE desta vez o quarto número. Também já começamos a preparar a nossa presença no próximo congresso mundial em Espanha em 2016. mais novidades em breve…..fiquem atentos ao vosso email…..

clic no texto abaixo para abrir convocatória

convocatoria Assembleia Geral UNIMA P – Alcobaça 18 Julho 2015

 

 

de volta …

por Unima Em 31 de Março de 2015 0 Comentários

Logo_unima_portugal_finalDepois de uns tempos de intervalo estamos de volta ao tabalho. Em breve irá se realizar uma Assembleia-Geral. Os trabalhos de preparação já estão em marcha. A edição do novo numero da Unima Portugal Magazine também já está começou a ser feito, bem como a preparação para o congresso mundial de 2016 em Espanha……até já!!!!

Hoje a UNIMA faz 85 anos Parabéns!!!!

por Unima Em 20 de Maio de 2014 0 Comentários

1510985_589411534490083_304331228777395074_n

Caros associados confirmem se receberam a nova Folha Informativa no vosso e mail. Se não receberam por favor contactem a UNIMA Portugal através do info@unimaportugal.com.

cabeçalho informação unima jpeg

Caros amigos,

no passado dia 25 decorreu na Casa de Teatro de Sintra a Assembleia Geral da UNIMA-P.

Como sabem, esta Assembleia Geral era de grande importância, pois para além da aprovação das actividades e contas de 2012, decidia-se os novos corpos sociais da UNIMA-P para o quadriénio 2013-2016.  Sobre este assunto gostaria de vos informar que houve uma só lista a sufrágio e que foi eleita por unanimidade. A saber:

Direcção

Presidente – José Manuel Valbom Gil (Associado nº 52)

1º Vogal – Nuno Pedro Correia Pinto (Associado nº 102)

2º Vogal  – Carlos Sérgio Martinho Silva (Associado nº 106)

3º Vogal – Maria João Campos Ferreira Trindade (Associado nº 105)

4º Vogal – Filipa Alexandra Carvalho Mesquita (Associado nº 101)

 

Assembleia –Geral

Presidente – Ildeberto Calmeiro Silva Gama (Associado nº 16)

Secretário – Ângela Sofia Guerreiro Ribeiro (Associado nº 118)

Secretário – Mauricio Rebocho (Associado nº 33)

 

Concelho Fiscal

Presidente –Jorge Alberto Gregório Soares (Associado nº 129)

Secretário – Rui Pedro Sousa (Associado nº 104)

Relator – Filipa Alexandre Guerreiro Baptista (Associado nº 112)

 

A nova Direcção propôs-se trabalhar para os objectivos:

 

1-      O primeiro objectivo é Informar e Ajudar os associados em tudo o que respeita o universo da Marioneta tanto em Portugal como no resto do mundo.

2-      Continuar a angariar novos sócios para a U.N.I.M.A.P.

3-      Homenagear os associados desaparecidos, colocando a biografia de cada um deles na página na Web da U.N.I.M.A.P.

4-      Produzir material de divulgação da U.N.I.M.A.P. (kit sócio, brochuras “o que é a unimap”, postais, canetas, pin´s, etc)

5-      Propor a Património Imaterial da Humanidade o Teatro de Marionetas Português.

6-      Incentivar os festivais que se realizam em Portugal a dar bolsas à U.N.I.M.A. P.

7-      Organizar e promover acções de formação, para enriquecer o conhecimento dos nossos associados, convidando tanto formadores Portugueses como Estrangeiros através dos vários canais da U.N.I.M.A. Internacional.

8-      Criar a “TemRede” rede nacional de teatros de marionetas (companhias ou outras entidades possuidoras de salas de espectáculos) conseguir que as entidades possuidoras de espaços programem obrigatoriamente espectáculos de marionetas.

9-      Continuar a Organizar um “encontro anual de associados da U.N.I.M.A.P.”, com colóquios, debates, acções de formação, etc. (itinerante.)

10-  Criar um “Prémio” (bienal) para o teatro de marionetas em Portugal, onde os associados da U.N.I.M.A.P. votam na melhor produção de teatro de marionetas portuguesa.

11-  Organizar a participação de uma delegação de Portugal ao congresso mundial da UNIMA em 2016 Tolosa/Espanha. Com várias companhias e um programa específico visando a promoção do teatro de marionetas produzido em Portugal.

12-  Aumentar o espólio do centro de documentação da UNIMA-P.

13-  Criar uma base de dados de todo o espólio do centro de documentação na página web da UNIMA –P.

14-  Fortalecer o contacto entre os associados e os outros centros da U.N.I.M.A. espalhados pelo mundo, bem como mantendo os propósitos que estiveram na criação da U.N.I.M.A., em 1929 na cidade de Praga que era e é unir os marionetistas de todo o mundo para que através da sua arte contribuírem para os superiores valores da Paz e da mútua compreensão entre os povos, sem distinção de raças, credos políticos ou religiosos.

O último mandato foi caracterizado por conseguir revitalizar, organizar e dar os primeiros passos no caminho da afirmação da UNIMA-P em Portugal e não só. Se me permitem, e sem desprimor para outras iniciativas, penso que o facto da UNIMA-P dispor de uma sede própria, embora em regime de comodato, é um feito notável. Penso que é justo para uma associação que tem parcos recursos mas que defende a arte que tanto amamos – a Marioneta.

Como podem ver os objectivos desta nova direcção são ambiciosos, mas estou em crer que sem a ajuda de todos vai ser muito difícil de concretizar.

Assim, e como ultimo acto como Presidente da Assembleia Geral da UNIMA-P, deixe-vos duas ou três ideias:

Primeira, agradecer a todos por acreditarem no projecto UNIMA-P,

Segundo, dizer-vos que os tempos são de dificuldade mas também de oportunidade – Força.

Terceiro, e último, dizer-vos que cada um de nós pode fazer a diferença, contribuindo um pouco para o bem comum – Não permitam que vos peçam, disponibilizem-se primeiro.

Um grande abraço,

Nuno Correia Pinto

capa magazine unima portugal 3

Depois de muitos atrasos, complicações e avarias aqui está o numero 3 da UNIMA Portugal MAGAZINE. A Todos as nossas  desculpas por tamanho atraso mas foi de facto impossível, antes sair este numero. Esperamos que gostem!

Abraço!!!!

Unima Portugal

ISSUU http://issuu.com/unimap/docs/magazine3_medium_low?e=4658592/5210100

PDF UNIMA Portugal Magazine [Ano 2 – Número 3 – Outubro 2013] (5)

a UNIMA Portugal Magazine vai estar nas bancas no mês de Agosto. É já o terceiro numero desta publicação on line da UNIMA Portugal.

Fiquem atentos!!! está quase……

logounimaDia Mundial da Marioneta – 21 de Março de 2013

A UNIMA tem o prazer de apresentar a Mensagem para o Dia Mundial da Marioneta 2013

Pedimos, este ano, a um renomado músico italiano, o Maestro Roberto De Simone, que é igualmente um autor, encenador e especialista da tradição napolitana de Guarratelle e Pulcinella.

Esta escolha vem na sequência da visita que Pudumjee Dadi e eu próprio fizemos a Roma e Nápoles, por convite da direcção da UNIMA-Itália, o que também nos permitiu conhecer Acerra, cidade natal do personagem Pulcinella do qual nos viemos a tornar Ambasciatore Globale.

Agradecemos ao director e à equipe do prestigiado Museo di Pulcinella di Acerra, pela honra que nos concederam convidando-nos a visitá-lo.

Todos nós sabemos a imensa influência que o caráter de Pulcinella exerceu no mundo das marionetas e a sua evolução gradual, sob formas e aparências distintas, na cultura de muitos países.

O texto do Maestro permitir-vos-á entrar no coração da cultura napolitana e sensibilizar-vos-á para a dimensão musical e rítmica que deverá possuir todo o bom mestre marionetista.

Nossa arte é única e em plena efervescência.

A 21 de Março de 2013, celebremos a Marioneta! Tenhamos consciência de que, entretanto, algumas formas tradicionais estão em perigo e precisam de proteção.

A este respeito, Nápoles e a sua região são um exemplo a seguir: a transmissão da tradição ocorre de modo respeitoso e vivificante entre mestres e discípulos há mais de 500 anos.

Jacques Trudeau

Secretário-Geral da UNIMA

 ————————————————————————————————–

Roberto De Simone

Diretor e musicólogo italiano, a sua dedicação a temas antropológicos também estão presentes, entre outras, em obras como Fiabe campane (1993).

Trabalhou como músico e diretor, muitas vezes em colaboração com a Nuova compagnia di Canto Popolare. Foi  director artístico (1981-1987) do Teatro San Carlo de Nápoles e tem dirigido numerosas óperas.

Nomeado em 1998 membro da Academia de Santa Cecília, veio ainda a receber, do Presidente da República francesa, o título de Cavaleiro das Artes e das Letras.

Em 2003, recebeu o prémio Roberto Sanseverino.

(In: enciclopédia Treccani.it , Itália)

—————————————————————————————————————

Mensagem Internacional de Roberto De Simone

O meu primeiro encontro com Pulcinella inscreve-se nas minhas primeiras lembranças de infância, quando Pulcinella fazia parte do imaginário de todas as crianças napolitanas.

Podíamos então encontrá-lo nas ruas, nas deslumbrantes cestas de brinquedos dos vendedores ambulantes e nas barracas de feira pelo São José, ou pela Epifania, ou pela festa de Piedigrotta, onde os brinquedos tradicionais eram expostos para venda. Entre eles estava um pequeno Pulcinella , o qual, montado num carrinho miniatura e animado por uma vareta, batia mecanicamente as mãos equipadas com pequenos címbalos de lata. Havia também, frequentemente, um outro brinquedo que consiste num pequeno cone de cartão vermelho, dentro do qual estava inserida uma corneta com uma pequena palheta, a  Pivetta, e com a qual se podia interpretar o refrão de uma tarantella tradicional. Também fazia parte do artefacto, um fantoche à semelhança de Pulcinella, cuja camisa estava colada ao rebordo do cone, e que um pedaço de arame aí introduzido e impulsionado por qualquer criança faria movimentar para cima e para baixo.

Obviamente, o jogo, pela insinuação sexual associada a este movimento, conferia ao nosso herói um significado fálico, também reforçada pela presença noutras manifestações tradicionais.

Finalmente, Pulcinella comparecia ainda em rimas de músicas para crianças, em cantigas de roda, em fábulas, em suma, pertencia à textura irreal da tradição, de modo que, em primeiro lugar alimentava a função iniciática e, de seguida, adquiria uma profunda significação misteriosa e emblemática.

Para tudo isto, o teatro de fantoches itinerante Guarattelle também contribuiu seriamente, lá onde ganhavam vida o fantástico Pulcinella, Teresina (a sua namorada), o Cão, a Morte, o Carrasco, e outros, apresentando-se ora na Piazza del Gesù, em San Domenico Maggiore ou à Porta Capuana, magnetizando a atenção das nossas caras de crianças que, de boca aberta, vivíamos aí a profissão de fé da nossa Bíblia onírica.

Voz de Pulcinella:

Puè puè puè puè puè

puere puè puè.

Mostra-te Teresa

Vem mostrar-te na tua varanda,

Que eu quero que oiças uma música bonita.

Por fim, quero ainda dizer-vos que, mesmo no repertório tradicional do Teatro Guarattella, podemos encontrar personagens e cenas que parecem ter sido tomados por empréstimo da tradição judaica, da tradição espanhola, da tradição do teatro latino, e até mesmo do teatro grego.

O termo guarattella é a versão, em dialecto, de Bagattella (um caso trivial), e deriva de Bagatto que é uma das cartas maiores do tarot, cuja origem cabalística foi veículo de elementos e histórias frequentemente encontrados entre os enredos do repertório do teatro Guarattella.

Terminarei com uma declaração pungente que gravei da viva voz do derradeiro guarrattellaro fiel à antiga tradição napolitana, chamado Nunzio Zampella, falecido prematuramente, e que tinha no seu ADN os cromossomas da antiga arte “pulcinellante”, o qual, à questão «até que ponto a utilização da Pivetta é importante para o marionetista tradicional», respondeu:

Zampella: “- É crucial! A arte da marioneta não é fácil. O manuseio pode ser simples, mas a mímica é musical, o movimento é música. A coisa mais difícil é a voz dupla, isto é, saber alternar a voz natural e o uso Pivetta para a voz artificial. O marionetista deve ser capaz de reproduzir todas as vozes: a da mulher, do polícia, do monge, de Pulcinella, a voz do cão, e até mesmo a da morte. Porém, qualquer que seja o disparate pronunciado no espectáculo, ele deve tornar-se em ritmo. Essa é a verdadeira força da Guarattelle: o movimento é ritmo, as palavras são música. “ (21 de Junho de 1975)

* A marioneta Pulcinella foi criada por volta de 1620 e inspirou dezenas de outros personagens do teatro popular europeu que foram, todos, capazes de alegrar e proporcionar um espaço de liberdade aos seus públicos.

Desejo a todos, nos cinco continentes, um fabuloso Dia Mundial da Marioneta!

(Tradução livre, de Ildeberto Gama,  a partir da versão francesa em http://www.unima.org/uniF_Message13.pdf)

——————————————————————————————————–

logo unima recortado 2011Mensagem do Presidente da UNIMA Portugal

 Dia Mundial da Marioneta em Portugal – 21 Março 2013 

Por certo muitos dos nossos associados estariam à espera que eu escrevesse uma mensagem    politicamente correcta, a dizer para não se esquecerem de pagar as quotas e aparecerem com mais frequência no Centro de Documentação ou mesmo para ajudarem mais na criação de conteúdos da nossa Magazine. Mas não é isso que vai acontecer! Sempre achei que este tipo de mensagem devia conter o que nos incomoda na alma no momento em que a escrevemos e por isso aqui vai:

Este ano, como desde há muito tempo, comemora-se o dia mundial da marioneta a 21 de Março. Todos sabemos que este dia é um dia de muitas comemorações, dia da Árvore, da Poesia, etc, etc. Mas o que importa mesmo neste caso é que pelo menos uma vez por ano o teatro de marionetas seja lembrado. Em Portugal este ano estamos todos um pouco com o coração nas mãos, pois os apoios estatais e dos mecenas são cada vez menos. Se já era difícil viver da cultura em Portugal, agora com todos estes cortes nos apoios e aumentos nas licenças está a ser quase impossível. Não me lembro de ver as programações dos teatros tão atrasadas ou inexistentes como agora. O teatro de marionetas ficou sempre ou pouco à margem da escolha dos programadores deste país, salvo raras mas boas excepções. A bem da verdade já passamos há alguns anos o estigma do teatro de marionetas ser uma “coisa” para crianças. A produção das estruturas profissionais portuguesas já nos habituou a uma qualidade sem igual, e temos como prova disso os prémios conquistados pelos marionetistas portugueses um pouco por todo o mundo. Mas agora temos um novo obstáculo!

Se por um lado estas “crises” são boas para limpar o mercado do que é mau, e simultaneamente está a destruir o mercado do teatro de marionetas, por outro lado estamos a começar a criar “Reis” nos teatros recuperados com o dinheiro de todos. Veja-se a quantidade de “reizinhos” que temos por todo o país que decidem as programações das salas. Nunca na história de Portugal tivemos tantas salas de espectáculo com condições tão boas para os artistas trabalharem, mas ao mesmo tempo nunca fomos tão descriminados. Tenho reparado que um pouco por todo o lado as companhias de marionetas portuguesas têm trabalhado, produzindo novas peças e realizado oficinas de marionetas, criando e ensinando como nunca aconteceu nos últimos 40 anos. Não muitas vezes, recebo no e-mail da UNIMA um pedido de informação sobre o teatro de marionetas produzido em Portugal a que respondo com muito orgulho reencaminhando todos os sites dos nossos associados. Se somos tão reconhecidos lá fora pelos nossos pares, porque é que cá dentro somos tantas vezes trocados pelo que vem lá de fora? O que se produz em Portugal em termos de teatro de marionetas é muito bom e recomenda-se.

Senhores Programadores, Produtores, “Reis” e afins que decidem o que pode ou não ser apresentado, nas salas de espectáculos deste país pagas por todos nós: Deixem trabalhar quem o quer fazer, e não empatem. Aprendam com os raros exemplos que existem, pois são de excelência. É tão fácil destruir como ajudar, e neste momento difícil para todos, temos de nos unir e não separar. Eu acredito no Teatro de Marionetas feito em Portugal e farei tudo o que estiver ao meu alcance para que este continue a ter o respeito e reconhecimento que merece.

Abraço! A todos os que amam, vivem e respiram o Teatro desta forma tão bonita.

Viva o Dia Mundial da Marioneta, 21 de Março de 2013

José Gil

(Presidente da UNIMA Portugal)