UNIMA Portugal

União da Marioneta Portuguesa / Centro Português da UNIMA
União Internacional da Marioneta / Union International de la Marionnette

Perfil Profissional de Marionetista 

Retirado de Perfis Profissionais Específicos do Sector das Actividades Artísticas, Culturais e de Espectáculo em Portugal
Coordenação Técnica: Sandra Lameira Coordenação: Catarina Vaz Pinto Design e Produção: Gráfica Ideias Virtuais
Local de Edição: Lisboa – Maio 2006 ISBN 972-8619-82-0
Depósito Legal 244766/06 Tiragem 1000 exemplares @ IQF, 2006 Instituto para a Qualidade na Formação, I. P.

I – Referencial de Emprego
Designação Marionetista
Outras designações utilizadas Actor/ Actriz-Marionetista
Profissões/Empregos agregados Bonecreiro/a
Fantocheiro/ a Titereteiro/a
Missão Interpreta papéis e compõe personagens em representações teatrais, através da utilização de várias técnicas de manipulação de marionetas,
Local de exercício da profissão Companhias/ grupos de teatro; companhias/ grupos de teatro de marionetas;salas de espectáculos, centros culturais e outras estruturas/ organizações culturais; estúdios de cinema e televisão;outros recintos de apresentação de espectáculos(ao ar livre, etc.)
Condições de exercício Profissão que envolve deslocações frequentes e/ou prolongadas, ritmos de trabalho intensos e desgastantes, e horários variáveis em função dos con textos de trabalho, do tipo de projecto e dos mo- . mentos de desenvolvimento da actividade (por exemplo, em fase de ensaios ou de carreira do espectáculo).
Determinadas posições de trabalho e a manipulação das marionetas envolvem riscos de desenvolvimento de certos problemas posturais e doenças do foro ósseo ou ortopédico (artroses, por exemplo).
Como em outras profissões em que a voz é utilizada em permanência, o/a marionetista pode ficar afónico/a ou desenvolver doenças do foro respiratório/faríngeo. Certas condições dos equipamentos culturais, a utilização de deter minados materiais e a polivalência exigida ao/à marionetista podem envolver riscos físicos de queda.
Área Funcional Artística
Actividades Pode conceber a ideia para o espectáculo e criar o texto (a ser dito ou não). Pode pesquisar autores e textos a adaptar.
Pode recolher material iconográfico e literário. I Pode escrever ou adaptar textos e peças para teatro de marionetas. Pode encenar espectáculos.
‘Pode trocar ideias com outros artistas de forma a desenvolver conceitos para novos espectáculos.
Pesquisa ideias e possíveis relações entre histórias, peças, temáticas actuais em vários meios. Pode desenhar esboços de marionetas.
Pode construir marionetas de fio, de vara, de luva, de sombras, de mesa, entre outras.
Pode coser adereços e figurinos para as marionetas.
Recebe informação sobre o espectáculo a realizar, os materiais a utilizar e a personagem a desempenhar.
Reúne com o/a encenador/a e restantes colegas para decompor o texto e as ideias.
“Bate” o texto com o/a encenador/a e os restantes colegas
Memoriza o texto/ guião/ peça
Recebe as marcações e cena.
Ensaia inicialmente com protótipos e posteriormente com as marionetas construídas.
Ensaia as marcações de cena.
Cria e molda a personagem que a marioneta representa, seguindo as indicações do/a encenador/a ou de outro/a director/a artístico/a para contracena, marcações, gestualidade, atitudes e expressões, dicção, etc.
Executa exercícios de concentração e/ou relaxamento de forma a preparar-se para o trabalho de criação, composição e interpretação.
Faz aquecimento de corpo e voz antes de cada espectáculo.
Prepara os materiais necessários à performance.
Verifica e prepara as marionetas que vai utilizar em palco, adereços e outros objectos.
Verifica e prepara vestuário a utilizar nas marionetas e pelo próprio.
Manipula os controlos das marionetas, animando-as para entretenimento dos espectadores.
Anima/ manipula marionetas, utilizando fios, cordas, os dedos, as mãos, posicionando-se acima, por baixo ou ao nível do palco.
Fala e canta, dando a ilusão de que a voz pertence às marionetas.
Dança e sincroniza movimentos de dança com as marionetas que manipula.
Pode operar equipamentos de som e luz durante a representação, movendo simultaneamente as mario- netas em sincronização com a música e a voz.
Repõe marionetas, adereços e outros materiais após o final do espectáculo. Pode carregar e descarregar equipamentos de som, luz e outros.
Pode desenvolver actividades formativas, coordenando ou dirigindo ateliers e/ ou actividades pedagógicas.
Assiste a outros espectáculos e a várias outras formas de arte de modo a absorver o máximo de informação/ técnica/ inspiração.
  II – Referencial de Competências Mobilizáveis 
Saberes-fazer técnicos Observar, pesquisar e seleccionar informação útil para o processo de criação de personagens.
Identificar aspectos que caracterizam as personagens, nomeadamente de ordem psicológica, física e social.
Interpretar e executar as indicações do/a encenador/a ou responsável artístico/a.
Memorizar textos e marcações de cena.
Cumprir o plano de trabalho estabelecido pelo/a encenador/a.
Sugerir formas alternativas de abordagem à cena, à personagem, participando activamente no processo artístico.
Experimentar e improvisar movimentos, frases, sequências em contextos de criação e composição de situações teatrais e de criação de personagens.
Utilizar ferramentas, máquinas e materiais como: madeira, papel maché, fios, metais, borrachas, espumas, esferovite, etc.
Seleccionar e utilizar guarda-roupa e adereços.
Adequar a sua interpretação em função dos meios técnicos e audiovisuais utilizados.
Estabelecer relação com os objectos para que se transformem em animados.
Interagir com a marioneta e a personagem que representa.
Estabelecer comunicação com os espectadores através do trabalho com as marionetas.
Utilizar técnicas de respiração, colocação e projecção de voz e de dicção de forma a tornar-se audível em palco.
Utilizar fios, cordas, os dedos e as mãos de forma a representar e levar a cena uma situação, uma ideia, uma personagem.
Manter e equilibrar a contra cena com os parceiros de cena e sobretudo com as marionetas.
Saberes .. Conhecimentos profundos de técnicas de manipulação de marionetas.
Conhecimentos profundos de técnicas de utilização de som e luz.
Conhecimentos profundos de técnicas de voz.
Conhecimentos profundos de técnicas e estilos de teatro de marionetas.
Conhecimentos profundos de uso e manipulação de materiais de construção de marionetas.
Conhecimentos sólidos de técnicas de interpretação e composição teatral.
Conhecimentos sólidos de tecnologias de materiais e seu comportamento plástico.
Conhecimentos fundamentais de Carpintaria.
Conhecimentos fundamentais de Adereços.
Conhecimentos fundamentais de História do Teatro e das correntes teatrais.
Conhecimentos fundamentais de Língua Portuguesa
Noções básicas de Serralharia.
Noções básicas de Dramaturgia.
Noçoes básicas de Canto.
Noçoes básicas de Cenografia.
Noções básicas de Cultura Geral.
Noções básicas de Dança e Expressão Corporal
Noções básicas de Música
Saberes-fazer sociais e relacionais Demonstrar criatividade, imaginação e sensibilidade.
Demonstrar paciência e humildade para ouvir, compreender, reconhecer e executar as indicações do/a encenador/a.
Demonstrar autodisciplina e determinação no desempenho das várias actividades, no cumprimento de planos de trabalho e horários.
Demonstrar capacidade de análise, reflexão e auto-crítica durante todo o processo de construção de personagens.
Demonstrar disponibilidade para observar o meio que o rodeia, os comportamentos e as expressões humanas para que as possa reproduzir durante a representação.
Demonstrar capacidade de memorização de textos e marcações de cena.
Comunicar ideias e sentimentos através do corpo, da voz, da expressão, da gestualidade e da manipulação das marionetas.
Demonstrar bom senso em qualquer fase de trabalho e na relação com os colegas, com o/a encenador/a e com os restantes técnicos e artistas.
Demonstrar habilidade e sensibilidade manual para manipular as marionetas com graciosidade e intencionalidade.
Demonstrar capacidade de concentração para manusear as marionetas e outros objectos durante os espectáculos.
Demonstrar generosidade e entregar-se na relação com os protagonistas do espectáculo -as marionetas com os colegas, o/a encenador/a e outros técnicos.
Demonstrar versatilidade no desempenho de diversas personagens e na utilização de diferentes mari netas em simultâneo. Trabalhar em equipa.
Demonstrar capacidade de entrega à actividade.
Gostar de estar em palco e conviver bem com a exposição pública.
Assumir a responsabilidade de desenvolver trabalhos individualmente, quase como one man show.
Demonstrar resistência física para desempenhar determinadas personagens. Utilizar técnicas que envolvam algum esforço ou riscos de postura ou queda.
III – Formação e Experiência
Este perfil é acessível a partir de formação superior na área do Teatro (Formação de Actores, Realização Plástica) e/ou cursos de formação de nível 3 em Interpretação ou Realização Plástica e/ou experiência profissional de actor e de manuseamento de marionetas.
IV – Especificidades do Mercado do Trabalho
Variabilidade do emprego Estes profissionais podem desenvolver a sua actividade vinculados a companhias e grupos de teatro de marionetas ou outras instituições semelhantes; podem também trabalhar enquanto freelancers, montando e executando espectáculos a solo ou colaborando pontualmente em contextos mais institucionalizados.
Alguns destes profissionais podem ainda colaborar com ou integrar entidades de formação, coordenando e/ou dirigindo ateliers ou outras actividades pedagógicas relacionadas.
Especialização em domínios de intervenção O/ A Marionetista pode eventualmente especializar-se num tipo de teatro de marioneta mais direccionado para um público infanto-juvenil, para um público escolar ou num tipo de teatro mais experimental, para adultos; pode tambem especializar-se na manipulação de determinado tipo de marioneta ou na utilização de determinada técnica.
Exemplos disso são:
Marioneta de Fio.
Marioneta de Mesa. Marioneta de luva. Marioneta de Vara.
Marioneta de Varão.
Marionetas Esculturas.
Marionetas Javanesas/Tailandesas (Wayang Golek).
Marionetas Japonesas (Bunraku).
Teatro de Sombras.
V. Elementos de Prospectiva
Cenário Ouro e Cenário Prata Estes cenários fazem apelo a uma maior diversidade de modos de exercício, compreendendo um recurso crescente a novas linguagens. Ênfase na dimensão criativa, no domínio de outras formas de ex- pressão artística e a técnicas inovadoras na composição do espectáculo ladereços, iluminação, figurinos, caracterização, cenografia). Perfil profissional sujeito a uma maior polivalência.
Cenário Bronze Este cenário potencia a retracção no desenvolvimento de conceitos inovadores ao nível da actividade com tendência para uma maior estagnação nos modos de exercício deste perfil profissional.

 

 

Quais são os Saberes-fazer sociais e relacionais do Marionetista

 

Quais são os Saberes-fazer sociais e relacionais do Marionetista?
Demonstrar criatividade, imaginação e sensibilidade.
Demonstrar paciência e humildade para ouvir, compreender, reconhecer e executar as indicações do/a encenador/a.
Demonstrar autodisciplina e determinação no desempenho das várias actividades, no cumprimento de planos de trabalho e horários.
Demonstrar capacidade de análise, reflexão e auto-crítica durante todo o processo de construção de personagens.
Demonstrar disponibilidade para observar o meio que o rodeia, os comportamentos e as expressões humanas para que as possa reproduzir durante a representação.
Demonstrar capacidade de memorização de textos e marcações de cena.
Comunicar ideias e sentimentos através do corpo, da voz, da expressão, da gestualidade e da manipulação das marionetas.
Demonstrar bom senso em qualquer fase de trabalho e na relação com os colegas, com o/a encenador/a e com os restantes técnicos e artistas.
Demonstrar habilidade e sensibilidade manual para manipular as marionetas com graciosidade e intencionalidade.
Demonstrar capacidade de concentração para manusear as marionetas e outros objectos durante os espectáculos.
Demonstrar generosidade e entregar-se na relação com os protagonistas do espectáculo -as marionetas com os colegas, o/a encenador/a e outros técnicos.
Demonstrar versatilidade no desempenho de diversas personagens e na utilização de diferentes mari netas em simultâneo. Trabalhar em equipa.
Demonstrar capacidade de entrega à actividade.
Gostar de estar em palco e conviver bem com a exposição pública.
Assumir a responsabilidade de desenvolver trabalhos individualmente, quase como one man show.
Demonstrar resistência física para desempenhar determinadas personagens.
Utilizar técnicas que envolvam algum esforço ou riscos de postura ou queda.

 

Qual a Variabilidade do emprego do Marionetista?

 

Variabilidade do emprego:
Estes profissionais podem desenvolver a sua actividade vinculados a companhias e grupos de teatro de marionetas ou outras instituições semelhantes; podem também trabalhar enquanto freelancers, montando e executando espectáculos a solo ou colaborando pontualmente em contextos mais institucionalizados.
Alguns destes profissionais podem ainda colaborar com ou integrar entidades de formação, coordenando e/ou dirigindo ateliers ou outras actividades pedagógicas relacionadas.
Especialização em domínios de intervenção:
O/ A Marionetista pode eventualmente especializar-se num tipo de teatro de marioneta mais direccionado para um público infanto-juvenil, para um público escolar ou num tipo de teatro mais experimental, para adultos; pode tambem especializar-se na manipulação de determinado tipo de marioneta ou na utilização de determinada técnica.
Exemplos disso são:
Marioneta de Fio.
Marioneta de Mesa. Marioneta de luva. Marioneta de Vara.
Marioneta de Varão.
Marionetas Esculturas.
Marionetas Javanesas/Tailandesas (Wayang Golek).
Marionetas Japonesas (Bunraku).